PREVISÕES PARA O SEGUNDO SEMESTRE

O QUE ESPERAR AINDA DE 2020


Não tá fácil, né? 2020 está sendo um ano atípico, marcado por mudanças coletivas, uma crise econômica sem precedentes e incertezas que estão causando apreensão e medo. Diante da atual situação, é natural que se fique apreensivo em relação aos meses que ainda faltam para acabar o ano. Bem, podemos antecipar que não serão muito tranquilos e que vão exigir muita energia e desprendimento.

Algumas pessoas perguntaram se algum astrólogo previu os acontecimentos que estamos presenciando hoje. É claro que não se poderia descrever em detalhes a conjuntura que estamos vivendo, mas a maior parte dos profissionais da área previa um cenário complicado, especialmente aqueles especializados em astrologia histórica.

_____

No final de 2019, publicamos em nosso site um texto expressando preocupação com uma conjunção difícil, que só ocorre mais ou menos a cada 38 anos, que é a conjunção Saturno e Plutão, que se formou em dezembro de 2019, teve seu ápice em janeiro e continuará ativa com maior ou menor intensidade até quase o fim de 2020.

Uma variação deste trânsito ocorreu em setembro de 2001, quando o mundo assistiu ao atentado ao World Trade Center, que mudou o cenário mundial, embora numa escala menor. Naquela época, tivemos uma oposição, em 2020, estamos vivendo uma conjunção, que foi potencializada pelo trânsito de Júpiter, formando uma tríplice conjunção que ocorreu pela útima vez a msi de 700 anos.

Você pode ler o texto na íntegra acessando o link:
https://www.viastral.com.br/materia/previsoes-para-2020

_____

Antes, ainda em 2018, publicamos no site do Viastral um texto que levantava a possibilidade de uma grave crise econômica, indicada pela entrada de Urano em Touro, planeta das mudanças imprevistas no signo do dinheiro, trânsito que se repete a cada 84 anos e que dura cerca de 7 anos.

A última passagem de Urano por este signo ocorreu em 1934, período durante o qual o mundo viveu os horrores da 2ª Guerra Mundial, conflito que aprofundou a crise econômica iniciada com o crash de Bolsa de Valores em 1929.

Entre os trânsitos que marcam o segundo semestre do ano, um dos mais significativos é o de Marte transitando por Áries, seu signo de domicílio. Podemos dizer que o planeta da ação e da agressividade está em casa e que seus atributos poderão ser manifestados de forma mais direta e intensa. 

Com Marte neste signo, o tempo entre o estímulo e a reação é mais curto e a tendência é agirmos de forma mais assertiva e determinada, mas é uma condição astrológica que traz risco de atritos, já que aumenta a impaciência e induz a atitudes provocativas e reações imediatas e ríspidas. Teremos de tomar cuidado para evitar que decisões impulsivas e atitudes precipitadas provoquem atritos, situações de estresse e até violentas.

No plano coletivo, Marte em Áries indica situação de tensão entre países, acidentes e fenômenos naturais que provoquem destruição, como incêndios e desabamentos, além de conflitos e revoltas sociais, com a consequente repressão, igualmente violenta.

Mas o trânsito de Marte por seu signo de domicílio também indica boas perspectivas. Por exemplo:  a energia necessária para a retomada depois de um longo período de paralisação compulsória é uma indicação favorável para o período. Além disso Marte em Áries traz mais iniciativa, espírito de luta, determinação e foco no objetivo.

Marte ingressou em Áries em 27 de junho e transitará por este signo até 6 de janeiro de 2021, o que intensifica o clima de tensão de 2020. Será um trânsito de Marte bem longo, o que não é usual. Ocorre que o planeta entrará em movimento retrógrado, que ocorre geralmente a cada 26 meses por um período de cerca de 2 meses.

Marte ficará retrógrado de 9 de setembro a 13 de novembro. É um período mais propício para planejar e ajustar do que para realizar. Não se recomenda dar início a grandes projetos durante esse período, já que as coisas podem demorar, empacar mesmo, mas claro que nem sempre isso é possível.

Caso seja necessário fazer algo importante e realmente inadiável, como uma reforma ou uma cirurgia, por exemplo, redobre os cuidados e procure se certificar de que tudo está previsto e que as pessoas envolvidas são competentes e de confiança.

E enquanto transita por Áries, Marte vai fazer contato com outros planetas, o que nos ajuda a fazer outras considerações para entender a dinâmica do período:

Até 10 de agosto e novamente de 11 a 26 de outubro, Marte faz quadratura com Júpiter, um contato tenso que induz à imprudência, à ação desmedida, à reação desproporcional e ao exagero, no trabalho, na alimentação, nas manifestações do ego, etc, Também há maior risco de acidentes.

Ficamos mais belicosos e defendemos nossos pontos de vista com muita veemência, o que até pode ser bom em certas circunstâncias. O risco é nos envolvermos em disputas improdutivas e que tendem a descambar para rupturas. É provável que os debates ideológicos se intensifiquem e as discussões nas redes sociais se tornem ainda mais acirradas.

No plano coletivo, existe grande chance de assistirmos ao acirramento das disputas internacionais, com aumento da tensão entre países, possivelmente com rompimento de acordos, desrespeito de fronteiras ou outras arbitrariedades que podem levar até a algum conflito.

Marte faz quadratura com Plutão nos períodos de 6 a 23 de agosto, de 28 de setembro a 24 de outubro e de 14 a 31 de dezembro. É um contato tenso que indica liberação de forte energia, radicalização, eventos sociais violentos e possibilidade de fenômenos naturais destrutivos.

No plano pessoal, basta uma faísca para que ocorra uma explosão, ou seja, há risco potencial de ações agressivas e podem ocorrer situações-limite, de grande estresse e desgaste, como conflitos, rupturas, acidentes, assaltos, etc.

Entre 15 de agosto e 7 de outubro, Marte faz quadratura com Saturno, um contato tenso que indica restrições à ação, impaciência, estresse e energia represada. As pessoas estão mais irritadiças e menos tolerantes, o que, consequentemente, aumenta a possibilidade de atritos.

Como Marte também está associado ao movimento, à febre e aos processos inflamatórios, e Saturno simboliza as regras e o limite, também é possível que este contato se manifeste como um problema que dificulte as coisas ou cause atrasos no dia a dia e no trabalho. Por exemplo, algum problema muscular ou ósseo que dificulte o deslocamento, ou alguma exigência burocrática que cause um adiamento indesejável.

No plano coletivo, este contato entre Marte e Saturno indica situações nas quais o poder estabelecido é desafiado e reage com força desproporcional. Não será surpresa se testemunharmos o aumento da ação truculenta das forças de repressão.

Serão meses durante os quais Marte ativará vários planetas, liberando uma forte carga de energia e desencadeando processos complexos de reestruturação, tanto no plano pessoal quanto no social. 

Há trânsitos de outros planetas, que são fortes e indicam agitação e desafios à frente, mas também boas perspectivas.

De 10 de julho a 31 de outubro, temos um bem-vindo sextil entre Júpiter e Netuno, que aponta para a possibilidade de um acontecimento positivo que beneficie a coletividade, como a confirmação da eficácia de uma vacina para o corona vírus ou algo assim.

Simbolicamente, é como se pudéssemos contar com a ajuda divina. De qualquer forma, o contato entre esses dois planetas desperta um sentimento de irmandade e de amor fraternal, favorecendo as ações coletivas de solidariedade e ajuda humanitária.

De 7 a 14 de novembro, temos o encontro direto de Júpiter e Plutão em Capricórnio, uma indicação de transformações profundas no tecido social, na área de saúde e nas relações internacionais. Será o último dos 3 contatos entre estes planetas tão poderosos, repetindo o que ocorreu no final de março e também no começo de julho, mas acreditamos que agora podemos esperar melhores resultados.

De 30 de agosto a 7 de setembro teremos uma oposição entre Vênus e Saturno, ambos formando quadratura com Marte, uma configuração difícil, que indica pavio curto, irritabilidade e risco de rupturas.

Quando este trânsito terminar, as coisas se acalmam um pouco, mas a quadratura entre Vênus e Urano de 12 e 18 de setembro indica pouca disposição ao acordo e imprevistos não favoráveis, inclusive na área financeira.

Até 28 de novembro, Netuno estará retrógrado, transitando por Peixes, seu signo de domicílio segundo a astrologia moderna. Netuno é enganoso, é o rei da ilusão e dificulta a percepção da realidade objetiva. Netuno propaga sem distinção e está associado aos processos de contaminação.

Então, não podemos descartar dificuldade para controlar a pandemia. Existe até a apossibilidade que a falsa sensação de segurança cause novas ondas de infecção pelo corona vírus durante o período de movimento retrógrado, mesmo nos países em que a curva de contágio já esteja em declínio. 

Aqui no Brasil, o número de pessoas contaminadas com o vírus já vinha crescendo, mas houve um expressivo aumento nos casos diários, desde que Netuno fez conjunção com Marte e ficou retrógrado, em meados de junho.

Encerrando o ano com chave de ouro, entre os dias 15 e 27 de dezembro, teremos o encontro de Saturno e Júpiter. É uma conjunção que vem se configurando desde o segundo trimestre de 2020, mas que estava em Capricórnio e não estava exata. Em dezembro, ficará exata e virá com toda sua intensidade. Além disso, a partir do dia 20, a conjunção se dará em Aquário, signo de elemento Ar, o que só aconteceu entre 1226 e 1405.

Por um lado, podemos esperar dificuldades, como uma maior necessidade de controle no contato social, com novas medidas de restrição entre países, etc. Por outro lado, podemos esperar a consolidação de avanços importantes. É provável que, a partir de 2021, tenha início uma fase de desenvolvimento intelectual, com impacto positivo na produção de conhecimento, nas artes, nas comunicações, na educação e no comércio.

São trânsitos importantes, concentrados em um período de poucos meses, mas é provável que as mudanças indicadas sejam estruturais e sentidas ao longo do tempo, já que envolvem planetas lentos, que indicam ciclos, mais do que acontecimentos isolados, como Júpiter, Saturno e, principalmente, Plutão. Aliás, como se costuma dizer no meio astrológico, depois que Plutão passa, nada será como antes.

Talvez não tenhamos saudades deste ano, mas, com certeza, 2020 será um divisor de águas. Só nos resta torcer para que as dificuldades que estamos enfrentando sejam o despertar de uma nova consciência global, permitindo que se estabeleçam as bases para uma sociedade mais justa e solidária.



O que achou do artigo?

Comente abaixo:



Matérias relacionadas

Busca

MAPA ASTRAL GRÁTIS




:

Mapa em horário de verão?

Não   Sim



Cadastre-se