Astrologia explica o Coronavírus?

A pandemia e a astrologia - Há luz no fim do túnel?


Tem muita coisa acontecendo no céu e no mundo neste momento. E a questão que se coloca é: podemos identificar na configuração celeste uma indicação da epidemia, agora pandemia, do coronavírus? A resposta é: sim. Necessário lembrar que planetas não devem ser vistos como causadores de pandemias ou eventos na esfera terrestre, mas como indicadores de tais eventos.

coronavirus

Há uma conjunção múltipla rara, um encontro de planetas em Capricórnio, que vem se formando há meses e que estará ativa até o fim do ano. Júpiter, Saturno e Plutão já estavam neste signo e agora temos a chegada do incendiário planeta Marte, que parece ter funcionado como um gatilho para detonar essa combinação tão explosiva. Alguns astrólogos já haviam chamado atenção para essa configuração e alertavam que era apenas uma questão de tempo até algo importante acontecer.

“Não é a espécie mais forte que sobrevive, nem a mais inteligente; é a mais adaptável à mudança”

Há controvérsias, mas a frase é atribuída a Darwin. De qualquer forma, poderia muito bem ser usada para ilustrar os atributos de Plutão. Este planeta nos obriga a mudar e nos torna mais adaptáveis e resilientes, para que possamos ter mais chances de sobrevivência em longo prazo. Plutão é o regente moderno de Escorpião, um planeta associado aos ciclos de vida, regeneração e morte.

Já Júpiter rege as questões sociais e tem como qualidade essencial espalhar e disseminar. É o planeta associado ao estrangeiro, ao que está distante, o que, de certa forma, é compatível com o que estamos vivendo. Algo que vem de fora, mas que muda a realidade imediata. A conjunção de Júpiter com Plutão e Saturno indica que não apenas a saúde e o bem estar das pessoas são afetados, Indica também que a capacidade do sistema de saúde planetário é colocada em xeque e o direito de ir e vir, antes inalienável, agora é condicionado às circunstâncias. 

Saturno está associado aos limites, aos medos e às restrições. Em 1914, tivemos este aspecto, que marcou a 1² Guerra Mundial e, em seguida, em 1918, a Gripe Epanhola, que marcou 50 milhões de pessoas. No começo dos anos 80, tivemos um aspecto parecido e o surgimento da Aids. Em 2001, quando Saturno estava em oposição a Plutão, tivemos o atentado ao World Trade Center, que deixou o mundo estarrecido, espalhou o medo, provocou a morte de milhares de pessoas e o recrudescimento das medidas de segurança nos aeroportos. No final do ano passado, Saturno, que é a planeta regente de Capricórnio, fez conjunção com Plutão, conjunção que agora está se desfazendo, mas que será reativada a partir de agosto, já que Saturno entrará em movimento retrógrado.

Marte é o guerreiro, o que se aventura e rompe barreiras. É o planeta regente de Áries e é associado ao impulso primordial, ao início. No corpo, é associado também ao sangue.  Quando transita pelo signo de Capricórnio, indica necessidade de controle e disciplina.

coronavirus-estados-unidos

Quando estes planetas estão juntos, a indicação é de expansão e potencialização de suas características. Podemos associar tal configuração ao que estamos assistindo, uma situação que não tem precedentes na história moderna. Cidades da China em quarentena, a Itália isolada do mundo, os Estados Unidos cancelando todos os voos procedentes da Europa, hospitais sobrecarregados, desabastecimento, a epidemia ganhando status de pandemia e o pânico se alastrando pelo planeta. O cenário é realmente preocupante.

Um fato que também chama atenção é que a conjunção ocorre em Capricórnio, um signo associado ao tempo e à velhice e, de fato, a população mais velha parece ser mais afetada pelo vírus.

Vejamos a linha do tempo do Coronavirus, ou Covid-19, e os trânsitos astrológicos correspondentes:

  • 1º de dezembro de 2019 - Júpiter entra em Capricórnio - o primeiro paciente começa apresentar sintomas.
  • 26 de dezembro de 2019 - Lua, Nodo Sul, Sol e Júpiter em conjunção em Capricórnio, além de  Saturno e Plutão, que já estavam neste signo - o vírus é identificado como intimamente relacionado a um vírus semelhante ao SARS.
  • 9 de janeiro de 2020 - Saturno em conjunção com Plutão - dados de sequenciamento de genes do vírus são divulgados; o vírus recebe o nome de coronavírus, ou Covid 19.
  • 21 de fevereiro de 2020 em diante – Marte ingressa em Capricórnio, signo de sua Exaltação, juntando-se à conjunção múltipla em Capricórnio - o número de casos aumenta exponencialmente, com vários surtos em todo o mundo.
  • Março de 2020 - Marte se aproxima de Júpiter e Plutão – a epidemia se intensifica.

 

O que virá em seguida?

Em 18 de março de 2020, haverá um encontro de 5 astros em Capricórnio, envolvidos em uma conjunção múltipla:  a Lua estará a 18º de Capricórnio no começo do dia e transitará por todo o signo até o fim do dia, Marte estará a 21°,  Júpiter a 22°, Plutão a 24° e Saturno a 29°.

O período entre 18 e 23 de março, quando Marte faz conjunção com Plutão, pode ser muito problemático e provavelmente testemunharemos um pico na propagação da doença, ou algum evento marcante.

Nas primeiras horas do dia 22 de março, Saturno sairá de Capricórnio e ingressará em Aquário, o que provavelmente será acompanhado do aumento das áreas de quarentena , da restrição das viagens, etc. Lembrando que Saturno entrará em movimento retrógrado e voltará para o signo de Capricórnio no dia 2 de julho.

No dia 1º de abril de 2020, Marte se encontrará com Saturno a 0° de Aquário. Podemos aguardar algum fato importante, talvez com o recrudescimento das medidas de contenção da epidemia.

Já no dia 4 de abril, Júpiter estará em conjunção exata com Plutão. É muito difícil prever com exatidão, mas é possível e provável que aconteça algo muito importante relacionado ao vírus e à pandemia a partir desta data, talvez até 1º de maio.

coronavirus-no-mundo

Não podemos desconsiderar que há outro trânsito fora da múltipla conjunção que está atuando e é compatível com a crise na economia provocada pela pandemia. Já há algum tempo, Urano transita pelo signo de Touro, o que só ocorreu há 84 anos, na esteira do crash da Bolsa de 1929, e que também marcou grandes mudanças na sociedade da época.

Acesse: https://www.viastral.com.br/materia/urano-em-touro

Mas há indicações positivas. Como Marte e Saturno já não estarão em  Capricórnio a partir de 1º de abril, podemos esperar que a tensão comece a se dissipar. Não custa torcer para o fim da propagação do vírus e para o começo do fim da pandemia.

E não podemos esquecer que Júpiter não é chamado de “O Grande Benéfico" por acaso. O envolvimento deste planeta que marca a pandemia de Coronavírus nos permite pensar que, de alguma forma, as coisas vão se resolver.

É muito provável que, a partir de agora, ocorrerá uma mudança de paradigmas. Nossa sociedade como um todo será profundamente transformada e cada um de nós terá de assumir sua parcela de responsabilidade diante do que está acontecendo.

 

Sandra Oliveira

Roberto Vendramini



O que achou do artigo?

Comente abaixo:



Matérias relacionadas

Busca

MAPA ASTRAL GRÁTIS




:

Mapa em horário de verão?

Não   Sim



Cadastre-se