https://www.viastral.com.br/materia/a-ultima-ceia-de-da-vinci-e-os-12-signos-do-zodiaco

A Última Ceia, de da Vinci

E os 12 Signos do Zodíaco


Emma de Mascheville foi uma pioneira. Durante 50 anos, desenvolveu um trabalho que procurava encontrar o ponto de intersecção entre a fé e a ciência, vislumbrando sempre a manifestação da beleza divina em cada fenômeno da natureza e em cada ser humano, mas mantendo uma postura lúcida, e coerente com a razão, sem se prender a dogmas e conceitos pré-estabelecidos.

Dona Emy, como ficou conhecida, nasceu em 10 de fevereiro de 1903, em Heimhausen, na Alemanha, mas foi alfabetizada em italiano, já que ela viveu seus primeiros anos em Monte Veritá, entre o norte da Itália e o sul da Suíça, numa comunidade de livres pensadores. Aos 22 anos, veio ao Brasil com a família, onde conheceu seu futuro marido, que a introduziu no estudo da astrologia, matéria que ela estudaria pelo resto da vida. Em 1930, então com 27 anos, se estabeleceu em Porto Alegre, cidade onde criou 7 filhos e viveu até 1981, ano em que faleceu.

Dona Emy,  estudou a astrologia clássica do ocidente, os aforismos árabes e a astrologia oriental, sempre observando e aprendendo. Era uma mulher que buscava o conhecimento com a mesma intensidade que o transmitia a seus alunos, entre os quais se encontram renomados astrólogos brasileiros. Ao longo de sua vida, interpretou mais de 10.000 mapas de clientes, que jamais saiam sem palavras carinhosas. Em cada interpretação, demonstrava sua grande sabedoria e sua profunda compreensão da natureza humana.  

À luz da astrologia, Dona Emy interpretou a Última Ceia, pintado por Leonardo da Vincim que, segundo ela, faz referências a todos os signos no famoso quadro : "Leonardo da Vinci era um iniciado e colocou na Santa Ceia todo seu conhecimento de astrologia." Até hoje, a interpretação de Dona Emy surpreende por sua riqueza e originalidade.

O pintor teria representado os signos na figura dos apóstolos e os posicionado para que formassem os eixos astrológicos: Áries em oposição a Libra, Touro em oposição a Escorpião e assim por diante: Abaixo, uma reprodução do quadro e comentários feitos com base na interpretação dessa mulher que deixou um inestimável legado para o desenvolvimento no Brasil: 

A Última Ceia e os 12 Signos

O primeiro à direita é Simão, que corresponderia a Áries (signo de elemento Fogo, associado à ação e á iniciativa) Com as mãos estendidas, ele indica a direção a tomar. Na anatomia astrológica, Áries rege a cabeça, e é evidente como a testa de Simão está realçada na pintura de Leonardo, como se ele estivesse surpreso ou aborrecido. 

A seu lado direito, Judas Tadeu, representando Touro (signo de elemento Terra, associado ao acúmulo) Seu semblante é sereno, o que indica que está “digerindo” lentamente o que ouve. Suas mãos estão posicionadas como se ele estivesse recebendo algo, o que indicaria a natureza possessiva de Touro. No corpo humano, Touro rege o pescoço e a garganta, e o de Judas Tadeu está bem destacado no quadro.

Ao lado de Tadeu, vemos Mateus, correspondendo a Gêmeos (signo de elemento Ar, associado à duplicidade e à comunicação e à interação com as pessoas) As mãos de Mateus apontam para um lado e o seu rosto está voltado para o outro, indicando a dualidade e a natureza inquieta do geminiano. Lembrando que Mateus era escriba (escreveu um dos evangelhos aceitos como verdadeiros pela Igreja Católica) e que Gêmeos rege a casa III, associada ao intelecto e à comunicação em geral.

Em seguida, vemos o apóstolo Filipe, que representaria Câncer (um signo de elemento Água, associado ao sentimento, à candura e à emotividade) A expressão de Filipe é cálida, há placidez em em seu olhar, e ele está inclinado, numa postura receptiva, suas mãos voltadas para o peito, demonstrando timidez ou como se estivesse acolhendo algo ou alguém. 

 

Ao lado de Filipe, vemos Tiago Menor, que representaria Leão (signo de elemento Fogo, associado à consciência e à autoconfiança) Sua postura é imponente e ele está de braços abertos, como se quisesse chamar a atenção para si, mas revelando nesse gesto sua natureza amorosa e magnânima (lembrando que Leão rege o coração e o chacra cardíaco)

Quase oculto atrás de Tiago Menor, vemos Tomé (que representaria Virgem, signo de elemento Terra, de natureza crítica associado à lógica formal) Ele é representado em uma posição discreta, compatível com a imagem virginiana, e com o dedo em riste, como se questionasse Jesus. Basta lembrar que a Tomé é atribuída a famosa frase “ver para crer”.

Ao lado de Jesus, representado no centro do quadro, está João Evangelista, que representaria Libra (signo de elemento Ar, associado à diplomacia e ao equilíbrio dos opostos) Suas mãos estão entrelaçadas sobre a mesa e sua postura é serena, como se ouvisse o que lhe é dito e ponderasse com calma antes de qualquer julgamento. Há quem acredite que, em vez de João, Leonardo teria retratado Maria Madalena. E há também quem acredite que Maria seria esposa de Jesus, o que seria compatível com o signo de Libra que rege a casa 7, associada à união dos opostos e, por extensão, ao casamento.

Ao lado de João Evangelista/Maria, vemos Judas Iscariotes, que representaria Escorpião. Judas está quase de costas, quase não podemos ver seu rosto e, aparentemente, ele está segurando um saco de moedas. Lembrando que Judas era o responsável pelas finanças do grupo e se suicidou, o que é compatível com Escorpião, signo Fixo, de elemento Água, que tem analogia com a casa 8  e é associado ao que está oculto, ao dinheiro e às posses dos outros e também à morte.

Em seguida, vemos Pedro, representando Sagitário (signo de elemento Fogo, associado às leis, à religiosidade aplicada, à ética e à filosofia) Leonardo o retratou entre Maria e Judas, apontando para Jesus, como se estivesse mostrando qual era o caminho a ser seguido. Lembrando que foi Pedro quem estabeleceu as bases do cristianismo.

Ao lado de Pedro, vemos André, que representaria Capricórnio (signo de elemento Terra, associado à sabedoria adquiria com o tempo, à responsabilidade e às obrigações) Ele é retratado com as mãos levantadas, num gesto que pode ser interpretado como um sinal de negação ou recusa, como alguém que estabelecesse limites. Seu semblante é sério, sua barba e seus cabelos são brancos, o que é compatível com a imagem de capricórnio. Basta lembrar que o velho sábio é um dos símbolos associados a este signo.

Ao lado de André, vemos Tiago Maior, que representaria Aquário (signo de elemento Ar, associado aos grupos e aos amigos com idéias em comum) Ele é retratado com uma das mãos nos ombros de Pedro, num gesto amigável, de alguém que se sente íntimo e confia nos outros. Com a outra mão, ele faz um gesto abrangente, como se quisesse tocar o ombro de André, mas que também se estende aos demais, como se quisesse abranger todo o grupo liderado por Jesus.

Finalmente, à esquerda, vemos Bartolomeu, que representaria Peixes (signo de elemento Água, associado à imaginação, à sensibilidade, à compaixão e à espiritualidade) Ele é retratado como se estivesse observando tudo, devotado ao mestre, mas um tanto absorto, com as mãos apoiadas, sem esboçar um gesto ou uma ação definida, o que é compatível com a imagem de Peixes. Note-se também que seus pés estão em destaque na pintura, e que Peixes rege os pés na anatomia astrológica.



O que achou do artigo?

Comente abaixo:



Matérias relacionadas

Busca

MAPA ASTRAL GRÁTIS



:

Mapa em horário de verão?

Não   Sim