https://www.viastral.com.br/materia/existe-uma-ordem-no-cosmos

Promoção: Amor em sintonia com os astros

Na compra da Sinastria do casal, ganhe o Mapa Astral de cada um.

Existe uma ordem no cosmos?

Simetrias astronômicas na sequência Titius-Bode

Sabemos que, diferente da fé, a ciência pode e deve ser contestada pelos Gostamos de acreditar que existe ordem, simetria e correspondência no universo, como podemos ver no fenômeno dos fractais, mas ainda não sabemos até que ponto essa ideia se sus

Simetrias astronômicas na Sequência Titius-Bode

Gostamos de acreditar que existe ordem, simetria e correspondência no universo, como podemos ver no fenômeno dos fractais, mas ainda não sabemos até que ponto essa ideia se sustenta. Na astronomia, o grande astrónomo Johannes Kepler foi um dos primeiros a propor a ideia de uma regularidade matemática nas distâncias entre os planetas.

No século XVIII, mais precisamente em 1772, um astrónomo e professor de Física chamado Johann Titius enviou uma carta ao colega Johann Bode, na qual apresentava a relação sequencial progressiva entre as distâncias dos planetas conhecidos até então em relação ao Sol.

Valendo-se de fórmulas matemáticas, eles determinaram com relativa precisão as distâncias médias dos planetas em relação ao Sol, expressas em unidades astronómicas, ou UA, que correspondem à distância média entre a Terra e o Sol, cerca de 150 milhões de km.

laneta Distância real Distância determinada pela sequência
Mercúrio 0,39 0,40
Vênus 0,72 0,70
Terra 1 1
Marte 1,52 1,6
Júpiter 5,2 5,2
Saturno 9,54 10

 

A comunidade científica ficou ainda mais entusiasmada quando, em 1781, William Herschal identificou Urano. Além de ser o primeiro planeta a ser detectado graças ao recurso de um telescópio, Urano estava a uma distância do Sol que corroborava a postulado peça sequência Titius-Bode.

Planeta Distância Real Distância determinada pela sequência
Urano 19,2 19,6

 

Como a sequência previa que deveria haver um astro orbitando o Sol a uma distância de 2,8 UA, os astrônomos passaram a procurar um astro entre Marte e Júpiter. Finalmente, em 1801, o italiano Giuseppe Piazzi localizou um asteroide, ao qual foi dado o nome de Ceres, que parece ser o resultado da desintegração de um planetoide que não resistiu ao forte campo gravitacional de Júpiter.

Planeta Distância real Distância determinada pela sequência
Ceres 2,65 2,8

 

A sequência parecia corroborada por aquela descoberta, mas, em 1846, o astrónomo inglês Johann Galle (1812–1910) descobriu Netuno, colocando em xeque a validade da sequência, que então já era chamada de Lei Titius-Bode. Os números não batiam, havia uma discrepância grande que não podia ser ignorada.

Planeta Distância real Distância determinada pela sequência
Netuno 30,1 38,8

 

A ideia de uma progressão matemática constante na distância média dos planetas sofreu um novo e contundente golpe em 1930, com a descoberta de Plutão, que orbitava o Sol a uma distância muito diferente daquela prevista pela sequência.

Planeta Distância real Distância determinada pela sequência
Plutão 39,5 77,2

 

Sabemos que, diferente da fé, a ciência pode e deve ser contestada pelos fatos e dados de realidade. Contudo, tais divergências não invalidam o debate se uma sequência matemática, que apresenta algumas simetrias significativas, representa uma propriedade natural do universo ou se é apenas mera coincidência numérica.



O que achou do artigo?

Comente abaixo:



Matérias relacionadas

Busca

MAPA ASTRAL GRÁTIS



:

Mapa em horário de verão?

Não   Sim