https://www.viastral.com.br/materia/o-que-os-ciclos-dos-planetas-nos-ensinam/

Promoção: Amor em sintonia com os astros

Na compra da Sinastria do casal, ganhe o Mapa Astral de cada um.

O que os ciclos dos planetas nos ensinam

Acompanhando os ciclos dos planetas no firmamento podemos tentar prever o que pode acontecer aqui na Terra

Os contatos tensos entre os planetas lentos desestabilizam a ordem vigente, com episódios impactantes e, muitas vezes, mudanças traumáticas na sociedade.

O que os ciclos dos planetas nos ensinam

Na astrologia, tempos os planetas considerados pessoais, Sol, Lua, Vênus, Mercúrio e Marte, que são rápidos e diretamente associados ao indivíduo. Temos também os chamados planetas sociais, Júpiter e Saturno, mais lentos e associados ao indivíduo no meio social. Temos ainda os planetas geracionais, muito mais lentos, que ficam de 7 a 30 anos em um signo, por isso, associados mais a eventos coletivos, embora seus efeitos sejam sentidos no plano pessoal.

Júpiter é associado ao crescimento, à expansão, a tudo que cruza fronteiras, logo, ao exterior e aos outros países. É associado à bem-aventurança e chamado de O Grande Benéfico. De forma geral, Júpiter amplifica os atributos dos planetas com os quais faz contato. 

Saturno é associado ao que é rígido, fixo e pesado. Representa as estruturas estabelecidas, os governantes, a disciplina, o princípio organizador e a experiência adquirida com o tempo. Simbolicamente, pode ser relacionado ao medo, aos limites. Na astrologia clássica, é chamado de O Grande Maléfico e visto como agente de mazelas.

Urano é associado ao que é novo, diferente e imprevisto, à ciência e à tecnologia. Representa as mudanças repentinas, a rebelião, a contestação às normas vigentes. Também é associado ao anseio pela independência e liberdade pessoal, assim como aos grupos e ideais coletivos.

Netuno é o planeta da fantasia, do desregramento dos sentidos. É associado aos sonhos, à inspiração, à transcendência e à empatia, mas também aos pesadelos, à indistinção, à distorção da realidade e à autoilusão. Representa ainda os processos de intoxicação e contaminação, logo, as doenças contagiosas. 

Plutão é associado ao poder de transformação, tanto para a destruição quanto para a regeneração.  No plano coletivo, está associado aos grandes ciclos de mudanças, graduais, profundas e definitivas.  No plano individual, é visto pela astrologia moderna como indicador de grande carisma.

Quando planetas lentos entram em contato tenso no céu, é como se a energia deles se combinasse, mas fosse liberada de forma inadequada, desestabilizando a ordem vigente. Geralmente, tais contatos marcam episódios impactantes e, muitas vezes, mudanças traumáticas na sociedade. Vamos citar alguns desses contatos, que ocorreram do começo do século 20 até hoje. 

Primeiro ciclo

1914 - Primeira Guerra Mundial 

Conjunção entre Saturno e Plutão

Em 1914, eles se encontraram no signo de Câncer, marcando o começo da Primeira Guerra Mundial, na qual morreram cerca de 20 milhões de pessoas, sendo 15 milhões de soldados e 5 milhões de civis. A guerra se estendeu até 1918, mudando o panorama econômico, político e social do planeta, mas especialmente o da Europa.

1918 – Epidemia de Febre Amarela

Conjunção entre Saturno e Netuno/ Júpiter e Plutão

Naquele ano, Saturno fez conjunção com Netuno em Leão, marcando a epidemia de febre espanhola que se alastrou pelo mundo devido à degradação dos sistemas sanitários e de saúde. A epidemia só foi controlada em 1920 e matou cerca de 50 milhões de pessoas em todo o mundo, sendo cerca de 30 mil só no Brasil, inclusive o presidente eleito. Aliás, o quadro foi muito parecido com o atual, com pessoas do povo e políticos negando a gravidade da doença. 

1926 - Ascensão do fascismo na Itália

Quadratura entre Saturno e Plutão

Em 1926, estes planetas formaram um ângulo de 90º no céu, contato tenso que indica concentração do poder, recrudescimento da repressão e restrições aos princípios democráticos. Não por acaso, tivemos a ascensão do fascismo na Itália, que deflagrou um processo de perseguição política e traria graves consequências para o planeta anos depois.   

1931 - Ascensão do Nazismo na Alemanha

Oposição entre Saturno e Plutão

Saturno e Plutão formaram uma oposição exata no céu em 1931, ano em que, graças às circunstâncias políticas, o nazismo começava sua ascensão na Alemanha. Já em 1933, o partido toma o poder e Hitler é nomeado chanceler. O resultado trágico todos conhecemos,

1939 - Segunda Guerra Mundial 

Quadratura entre Saturno e Plutão

'

No final de julho de 1939, ocorreu uma quadratura exata, o contato mais tenso entre eles. Em setembro, Hitler ordenou que o exército alemão invadisse a Polônia, dando início à Segunda Guerra Mundial, conflito que deixou entre 55 a 80 milhões de mortos e que terminaria com o tenebroso lançamento das bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki.

Segundo ciclo

1956 – Revolução em Cuba, Israel em guerra com Egito, Vietnã do Sul x Vietnã do Norte 

Nova quadratura entre Saturno e Plutão

A Guerra Fria já estava em curso, com os Estados Unidos tentando conter os arroubos revolucionários no mundo, e a tensão aumentou quando Fidel Castro chegou em Cuba com seus companheiros disposto a depor Fulgêncio Batista e instaurar o regime socialista na ilha, o que realmente aconteceria em 1959.

E em 1959, do outro lado mundo, também teve início a Guerra entre Vietnã do Norte e Vietnã do Sul, que alteraria a dinâmica das superpotências e marcaria indelevelmente a história. 

1964 – Golpe militar no Brasil e EUA na Guerra do Vietnã

Nova Oposição entre Saturno e Plutão/Urano

Saturno e Plutão/Urano formaram uma oposição em 1964, ano que ocorreu o Golpe Militar no Brasil. 

Depois, Saturno ficou retrógrado e a oposição só ficou exata novamente em 1965, ano em que os Estados Unidos entraram na Guerra do Vietnã.  Os horrores da guerra, foram documentados por muitos jornalistas, renderam dezenas de livros e filmes e marcaram profundamente toda uma geração, não apenas de americanos, mas principalmente de vietnamitas.

1973 – Crise do Petróleo, golpe no Chile e bomba nuclear na Índia

Nova Quadratura entre Saturno e Plutão

Naquele ano, houve uma grave crise do petróleo, lembrando que Plutão tem a ver com as riquezas do subsolo.

No mesmo ano, Pinochet deu um golpe para depor o governo democrático de Salvador Allende de instaurar uma das ditaduras mais cruentas da América do Sul. Em maio de 1974, a Índia entrou na corrida nuclear e detonou a primeira bomba atômica, ironicamente chamada de Buda Sorridente.

Terceiro ciclo

1981 – Surgimento da Aids

Conjunção Júpiter-Saturno e Sextil Plutão-Netuno

Naquele ano, o mundo foi abalado pela notícia de que um novo vírus estava se espalhando e provocando uma doença até então incurável. A conjunção Júpiter-Saturno indica a proliferação do medo e o contato Plutão-Netuno indica a disseminação do vírus, as dúvidas, incertezas, etc.  Curiosamente, é um aspecto similar ao que vivemos hoje, envolvendo os mesmos planetas.

1982 - Guerra das Malvinas e Guerra Irã-Iraque

Nova Conjunção entre Saturno e Plutão

Entre abril e junho daquele ano ocorreu a insólita Guerra das Malvinas. O despreparado e mal equipado exército argentino não poderia mesmo resistir aos super bem treinados soldados ingleses, munidos com armamentos de última geração. O conflito deixou cerca de mil mortes, a maioria de argentinos, e terminou com a previsível retomada do arquipélago pelo Reino Unido.  

Embora tenha começado em 1980, portanto, antes da formação da conjunção, a Guerra Irã-Iraque estava em curso durante esse período e só terminaria em 1988.

1993 - Guerra da Bósnia e genocídio em Ruanda

Nova Quadratura entre Saturno e Plutão

Saturno e Plutão formaram nova quadratura em 1993, ano em que já estava em curso a Guerra da Bósnia, que começou em 1992 e que deixou cerca de 200 mil mortos.

Na sequência, em 1994, ocorreu o genocídio em Ruanda, que causou a morte de 500 mil a 1 milhão de mortos.

2001 - Atentado ao WTC

Nova Oposição entre Saturno e Plutão

Em agosto daquele ano, a oposição ficou exata, e em setembro ocorreu o atentado ao World Trade Center, que causou pânico na população norte-americana, assombrou o mundo e teve como consequências o acirramento das medidas de segurança nos aeroportos do mundo todo, a relativização de alguns direitos fundamentais, a escalada do medo, e a guerra contra o terror, que incluiu ataques contra o Afganistão.

2009 – Primavera Árabe e Guerra da Síria

Nova Quadratura entre Saturno e Plutão

Saturno e Plutão formaram nova quadratura em 2009 e em 2010 teve início a chamada Primavera Árabe, um evento histórico, com manifestações populares contra ditadores e governos do Oriente Médio e da África.

Na esteira da Primavera Árabe, em 2011, os protestos na Síria para depor o ditador Bashar al-Assad, cuja família está no poder há mais de 40 anos, se transformaram em guerra civil e depois em guerra aberta, com a participação de outros países. No conflito, que persiste até hoje, já morreram mais de 380 mil pessoas.  

Quarto ciclo

2019 – Coronavírus 

Tríplice-Conjunção Júpiter/Saturno/Plutão em contato com Netuno

No final de 2019, começou a se formar uma nova conjunção de Saturno e Plutão, que ficou exata em janeiro de 2020 e ativa ao longo do ano todo. Além disso, a conjunção foi potencializada pelo encontro com Júpiter, formando uma tríplice conjunção, evento raro, que ocorreu pela última vez há mais de 700 anos.

O coronavírus causou transformações profundas no tecido social. Astrologicamente, a pandemia é indicada pelo fato de todos os planetas que formam a tríplice conjunção fazerem contato com Netuno, configuração similar à que tivemos quando do surgimento da Aids.  

Vivemos uma crise que não apenas abalou seriamente a economia de mercado, como pôs em xeque os próprios paradigmas do sistema financeiro. Sem falar que a nova realidade nos obrigou a descobrir maneiras de lidar com o estresse pós-traumático e a pensar em outra forma de organização social, com novos conceitos e prioridades. 

Sabemos onde estavam os planetas no passado e sabemos o que aconteceu aqui na Terra. Sabemos onde estarão os planetas no futuro e tentamos prever o que pode acontecer. Por isso, continuamos acompanhando os ciclos dos planetas no firmamento, sem pensar nunca no começo do fim, mas sim em um novo começo. 



O que achou do artigo?

Comente abaixo:



Matérias relacionadas

Busca

MAPA ASTRAL GRÁTIS



:

Mapa em horário de verão?

Não   Sim