Mapa Astral do Prince

Ilustre geminiano


Prince Rogers Nelson nasceu em Minneapolis, no Estado de Minnesota, às 18h17m do dia 7 de junho de 1958. Ele tinha Sol em Gêmeos e o ascendente em Escorpião, o que é totalmente compatível com sua extrema versatilidade e com seus múltiplos recursos, que lhe permitem tocar, cantar, compor, dançar, fazer arranjos e tocar todos os instrumentos. E Prince fazia tudo isso muito bem, já que essa configuração indica também a tenacidade necessária para mergulhar fundo e buscar o refinamento técnico e o aperfeiçoamento constante.

Mapa Astral de Prince

A sensibilidade musical e o senso estético apurado são indicados em seu mapa pela Lua em Peixes, Mercúrio em Gêmeos e por Vênus em Touro na casa do cotidiano, que indica também sua notória e obstinada dedicação ao trabalho. Prince transitou com a mesma desenvoltura pelo pop, pelo disco e pelo rock, produzia todas as suas músicas e também produzia o trabalho de outros artistas, sempre com alto grau de exigência.

Prince começou sua carreira no final dos anos 70, montando uma banda multirracial, chegou a gravar um cd, mas seu sucesso só consolidou no começo dos anos 80, quando ele montou a banda Revolution, com a qual gravou Purple Rain, seu maior hit, que vendeu mais de vinte milhões de cópias.

Com apenas 1,57m de altura, sua imagem causava certo impacto. Ele é ambíguo, ora andrógino, ora com um toque de galã sedutor latino. Suas performances e seus figurinos ousados causaram polêmica e ele chegou a ser vaiado e hostilizado em 1981 quando abriu o show dos Rolling Stones. Muitas de suas letras são de conteúdo altamente erótico, quando não declaradamente sexual, o que não é de se estranhar, para quem ascendente em Escorpião, com o Sol na casa 8, da qual este signo é original e que tem associação com a sexualidade. E claro que ele gostava da polêmica, instigava e provocava, afinal, quem tem Plutão no meio do céu em Leão no mapa não vai passar despercebido sem causar transtorno ou alguma transformação.

É dessa época também sua incursão no cinema, com o filme de mesmo nome, que fez algum sucesso, mas foi considerado pela crítica sexista, juvenil, etc. Parece que o cinema não era muito a dele mesmo. Em 1986, Prince lançaria Under The Cherry Moon, um retumbante fracasso.

Mas sua carreira musical é impressionante. Ele vendeu mais de 100 milhões de discos e o álbum Sign O´The Times, de 1987, entrou para a lista dos 100 melhores álbuns de todos os tempos da Rolling Stone e da revista Time. Em 1989, o astro gravou o sucesso mundial Batdance, para a trilha do filme Batman. De 1993 até o ano 2000, aparentemente por motivos comerciais relativos a direitos autorais, Prince deixou de usar seu nome e declarou que queria ser identificado apenas por um símbolo.

Durante esse período, gravou alguns cds, mas só voltaria ao cenário artístico mundial com mais ênfase em 2004. Triunfalmente, ele renasceu das cinzas em grande estilo, se apresentando em fevereiro no Grammy Awards ao lado de Beyoncé. No mesmo ano, lançou Musicology, álbum que chegou ao primeiro lugar das paradas em vários países. Segundo a revista Rolling Stone, naquele ano Prince foi o artista que mais faturou, fazendo 96 apresentações e chegando a uma renda de mais de 55 milhões de dólares.

Prince foi um ícone, um artista de múltiplos talentos, cuja originalidade vai fazer falta no cenário do showbiz mundial.



O que achou desta matéria?

Deixe seu comentário abaixo:



Matérias relacionadas

Busca

MAPA ASTRAL GRÁTIS




:

Mapa em horário de verão?

Não   Sim