https://www.viastral.com.br/materia/os-reis-magos-e-a-astrologia

Os Reis Magos e a Astrologia

6 de janeiro, dia do Astrólogo


“E, tendo nascido Jesus em Belém de Judéia, no tempo do rei Herodes,
eis que uns magos vieram do oriente a Jerusalém”
 (Mateus 2:1-2) 

Embora a citação bíblica esteja no plural, não fica claro quantos eram os Reis Magos, mas, com base nos presentes que foram dados a Jesus, acredita-se que eram três: Gaspar, Melchior e Baltasar. Muitos séculos depois, eles foram associados à Índia, Pérsia e Arábia, respectivamente. Curiosamente, são citados apenas uma vez na Bíblia, no Evangelho de Mateus e não são chamados de reis, mas de magos, palavra com origem no latim e no grego e que significa sábios ou sacerdotes, o que indica que eram homens que detinham muitos conhecimentos, inclusive sobre astrologia, matéria que não estava totalmente separada da astronomia e que tinha grande importância no Oriente Médio naquela época.

Acreditava-se que, assim como estrelas cadentes pressagiavam grandes acontecimentos, algum evento celeste significativo deveria prenunciar o nascimento do Messias. Os Reis Magos, utilizando seus vastos conhecimentos, teriam estudado a configuração celeste e viajado milhares de quilômetros, seguindo o brilho da Estrela de Belém, que anunciava o nascimento de Jesus, o Cristo. Há hipóteses modernas que identificam esta estrela com a conjunção simultânea, que aconteceu no ano 7 antes de Cristo, na constelação dos Peixes, mas talvez seja mais um simbolismo da narrativa. 

Os Rei Magos procuraram Herodes e lhe perguntaram sobre o nascimento do Rei dos Judeus. Depois dessa visita, Herodes, que era então o Rei dos Judeus, temendo perder seu trono, teria ordenado a perseguição e morte de todas as crianças do sexo masculino com menos de dois anos de idade da vila de Belém, episódio que ficou conhecido como o Massacre dos Inocentes.  

Os Reis Magos levavam presentes para ofertar ao Messias: ouro, incenso e mirra, uma especiaria usada para fazer perfume. Eles teriam encontrado Jesus no dia 6 de janeiro, logo após seu nascimento, que teria ocorrido no 25 de dezembro. No entanto, algumas versões dão conta que eles só teriam encontrado Jesus quando ele já era um garotão. 

Há muitas controvérsias sobre a data do nascimento de Jesus, de acordo com a qual ele seria de Capricórnio. Alguns consideram pouco provável que Jesus seja capricorniano porque as características do signo não seriam exatamente compatíveis com o que se conhece do seu comportamento: pregando o desapego ao mundo material, sempre rodeado de companheiros, etc.  No entanto, outros poderiam argumentar que é o signo que fica no ponto mais elevado do zodíaco e que ele era um sábio bastante austero, o que não estaria em desacordo com a essência do signo. Há quem afirme que, pelo seu desprendimento, pelas demonstrações de amor incondicional e tudo mais, Jesus só pode ser de Peixes, o último signo da mandala zodiacal, que representa o encerramento de um ciclo. Há até quem arrisque Jesus era de Áries, que veio trazer a lei da espada e o início de uma nova era. O fato é que, astrologicamente, não há como ser assertivo quanto a isso.

O que se sabe é que há fatos históricos que reforçam a ideia de que ele não teria nascido em dezembro e que a data teria sido escolhida por interesse do poder político e religioso da época. Não há citação a respeito na Bíblia e o 25 de dezembro só foi oficializado como o dia da comemoração do nascimento de Jesus no século IV, pelo Papa Júlio I, provavelmente para coibir o culto a um deus pagão, já que, antes disso, na Roma antiga, o dia 25 de dezembro era consagrado ao Deus Sol.

De acordo com uma tradição medieval, os Reis Magos teriam se reencontrado quase 50 anos depois do primeiro Natal, em Sewa, uma cidade da Turquia, onde teriam morrido. Seus corpos teriam sido levados para Milão, na Itália, onde teriam permanecido até o século 12, quando o imperador germânico Frederico dominou a cidade e teria trasladado as urnas mortuárias para Colônia, na Alemanha. Até, hoje, quem visita a catedral da cidade é informado que ali repousam os restos mortais dos Reis Magos, embora alguns estudiosos não acreditem nessa versão.

Na verdade, não há comprovação ou evidência histórica inequívoca da existência dessas pessoas, o que não diminui a beleza da simbologia do nascimento de Cristo narrado no Evangelho de Mateus. Seja como for, em alguns países do mundo, como Espanha, por exemplo, ainda se mantém o costume de presentear as crianças no dia 6 de janeiro, dia dedicado aos Reis Magos. Aqui no Brasil, a data é conhecida como a Festa de Santos Reis, importante manifestação cultural do nosso povo.

E não é por acaso que no dia 6 também se comemora o Dia do Astrólogo. Segundo a tradição, os Reis Magos eram homens que interpretavam o movimento dos astros no firmamento para perscrutar os desígnios divinos. Felizmente, apesar do descrédito e da resistência de alguns setores, ao longo desses mais de dois mil anos, a astrologia continou sendo estudada em todas as culturas e hoje é uma linguagem acessível a milhões de pessoas em todo o mundo.  

Nossa homenagem a todos que se dedicam ao estudo desse saber milenar.



O que achou do artigo?

Comente abaixo:



Matérias relacionadas

Busca

MAPA ASTRAL GRÁTIS



:

Mapa em horário de verão?

Não   Sim